Senac

Rio Grande do Sul

Artigo

Gestão de negócios, dicas e alternativas para equilibrar as contas nesse momento

por Marcelo Ott - Professor do Senac Novo Hamburgo

 

A maioria das empresas em nosso território nacional estão enquadradas como pequenas e micro empresas, ou seja, são organizações com atuação local ou regionalizada, apesar de movimentar uma gigantesca cadeia produtiva. Também são estas empresas que empregam a maioria da população brasileira, cujo seus rendimentos médios, segundo o IBGE na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua - PNAD Contínua, no 4º trimestre de 2019 estavam por volta de R$ 2.340,00 mês.

Atravessamos tempos desafiadores, tempos em que ter o talento para fazer produtos e/ou prestar serviços com qualidade é fundamental, porém, apenas isso não mais é suficiente para a sobrevivência das empresas. Estamos em um período em que o isolamento social demanda dos gestores a capacidade de reinventar seus empreendimentos. Com o intuito de auxiliar neste processo de reinvenção e buscar a perenidade, seguem algumas dicas para uma gestão mais eficiente já que "o futuro é o passado em preparação”, já dizia Pierre Dac. Ou seja, as iniciativas tomadas hoje terão reflexo amanhã!


1. Conhecer a operação da sua empresa em detalhes é fundamental: ter a capacidade de identificar os custos – que são os gastos relacionados a produção ou comercialização de mercadorias e serviços e, ainda, despesas fixas – aquelas despesas que existem independente da venda e recaem neste momento com muita força sobre o capital de giro da empresa, colocando em xeque a capacidade de auto financiar sua operação. O gestor deve promover uma redução nas despesas fixas, otimizando a operação da organização e assim ganhar fôlego durante este período que atravessamos;

2.  Você deve fazer uma análise criteriosa de suas contas a pagar nos próximos períodos de 15, 30, 45 e 60 dias e negociar com fornecedores e credores maiores prazos para pagamento destas obrigações;

3. Estoques: cautela na aquisição de estoques, pois com a mudança de cenário a conversão destes estoques em vendas efetivamente recebidas pode demorar e o pagamento junto aos seus fornecedores pode se dar em um prazo menor que o de costume em razão das adversidades;

4. Crédito: significa antecipar recursos, olhar as taxas e avaliar se realmente existe a necessidade de busca de crédito – esgote as possibilidades antes de aderir ao crédito, pois este recurso representa maior custo para a empresa.

5. Abra novos canais de comercialização: utilize sem medo o whatsapp, aplicativos de delivery, telentrega e site. Assim você amplia a sua capacidade de comunicação e logística junto aos seus atuais e futuros clientes. Isso pode incrementar o volume de vendas efetivas da empresa;

6. Utilize as redes sociais: faça vídeos apresentando seus produtos e explicando os benefícios, além da comodidade em adquiri-los com a sua organização;

7. Trabalhe com uma política de descontos ou bonificações em compras futuras, assim você mantém o giro da operação atual e ainda gera possível venda futura.

São pequenas dicas e comportamentos importantes neste momento. Contudo, são estas mudanças que implementadas e seguidas à risca transformam-se em hábitos, tornando a gestão muito mais eficiente na geração de margens de lucratividade maiores dos que as exercidas antes da crise.

Lembre-se na CRISE, corte o "S" e CRIE!

Serviços da escola
Serviços do Senac-RS
Acessos
Serviços
Institucional
Contato
Top of mind 2018
Top de marketing ADVB 2018
Great Place to Work 2018
Top Ser Humano 2018
Nós apoiamos o Pacto Global
Melhores em Gestão 2018