Senac

Rio Grande do Sul

Artigo

A pessoa idosa na pós-pandemia

por Juliane Araujo Rodrigues - Coordenadora da área da saúde do Senac Uruguaiana e enfermeira mestre e especialista em Cardiologia pelo Instituto de Cardiologia/RS

Na última década, percebemos o aumento da longevidade. Com ela, a preocupação em ser proporcionada em diversos cenários a qualidade de vida à essa população. Podemos dizer que temos um idoso antes da pandemia e um pós-pandemia. No primeiro, observávamos uma importância em manter-se saudável, com cuidados com a alimentação, atividade física e convívio social. Hoje, esse cuidado com seu bem-estar continua, no entanto, pelas restrições de isolamentos, é notório o aumento de depressão e ansiedade. Impedir nossos idosos de serem livres, mesmo que por um bem maior, de certa forma, está os adoecendo e entristecendo.

Podemos e devemos nos preparar para apoiá-los, mostrando o valor da vida e quanto ela pode ser vivida com qualidade independente da idade. E isso não deve ser só no Dia do Idoso, comemorado em 1º de outubro. Precisamos olhar com carinho, zelo e muita atenção para eles, para que os vínculos sociais se restabeleçam e para que rotinas saudáveis tornem a fazer parte de suas vidas todos os dias.

O mundo digital está aí e nele precisamos inserir nossa população idosa, a fim de mantê-los não só conectados com o mundo, mas nesse momento, como forma de distração e entretenimento. As senhoras hoje aprendem um novo ponto de crochê na internet. E aquela receitinha mais elaborada? Em tutoriais. Basta criarmos espaços para ensiná-los bem como termos capacitação para orientá-los. Como fazer isso? Basta apenas de paciência. Essa característica é fundamental para lidarmos com os mais velhos, seja em casa, no trabalho ou nos meios sociais.

Há muita novidade na saúde quando falamos em inovação e tecnologia para atender esse nicho da população. Dispositivos eletrônicos que lembram a pessoa de tomar a medicação no horário certo, localizadores de pacientes que apresentam risco cardiovascular quando têm uma arritmia ou parada cardiorrespiratória que emitem alerta para o serviço de saúde. Até mesmo algo mais simples como consultas com profissionais da saúde por redes sociais.

Em vista dessa realidade, a sociedade e os profissionais da saúde precisam constantemente buscar alternativas para proporcionar bem-estar e adaptar os idosos a recursos tecnológicos para mantê-los conectados e ampliar suas redes de convívio, mesmo que digital.

Serviços da escola
Serviços do Senac-RS
Acessos
Serviços
Institucional
Contato
Top of mind 2018
Top de marketing ADVB 2018
Great Place to Work 2018
Top Ser Humano 2018
Nós apoiamos o Pacto Global
Melhores em Gestão 2018