Senac

Rio Grande do Sul

Artigo

Pandemia: desafios de ser velho

por Tatiane de Lima - Mestranda em psicologia e docente do Senac Caxias do Sul

A escritora Simone de Beauvoir escreve que: velho sempre é o outro. Tal qual, como se nunca fossemos chegar na fase chamada envelhecimento, como se fosse um ponto que, de repente, do dia para a noite, acordamos e estamos lá envelhecidos. Frequentemente, somos convocados a pensar que teremos sempre a solução para os cabelos brancos, rugas e manchas da idade. Porém, com a mesma frequência não pensamos que ali está o processo de envelhecer dia após dia batendo na nossa porta.

As projeções para 2047 apontam para uma sociedade envelhecida com predominância do grupo etário de 60 anos e mais. Tal constatação exige ações macro estruturais rápidas e efetivas, tendo em vista a velocidade com que o Brasil deixa de ser uma sociedade juvenil e torna-se envelhecida. 

Pensando nisso, atualmente com a pandemia, fomos convocados a rapidamente ter medidas de contingência à saúde da criança, do jovem, do idoso, sobretudo, do trabalhador em suas diferentes idades, embora o velho tivesse que ser o primeiro a ser afastado, por apresentar maior exposição ao risco. Entretanto, a vulnerabilidade se instala para todos. O que confunde é a velhice estar associada a um sinônimo de doença. 

Extremamente necessário, o isolamento para a questão física do velho. Mas, na mesma medida, deve ser dada atenção à saúde mental. Da mesma forma, com a mesma dificuldade, o velho teve que lidar com uma tecnologia que não é fácil e habitual.  Além disso, com a pandemia, os trabalhadores mais velhos foram sendo os primeiros a se afastarem das suas atividades laborais. 

Para as poucas vagas de emprego que restam, a preferência está sendo para jovens, devido à ideia de que os riscos de afastamentos sejam menores. Aproveite essa ausência dos sêniores em seu time e faça uma avaliação se não há perdas de capital social na sua equipe. Afinal, os mais velhos possuem um diferencial competitivo muito valioso para sua companhia: o conhecimento tácito, que é aquele aprendido por meio das experiências, riquíssimo em afeto e trocas que geram produtividade de alto padrão. 

As dicas para esse momento, aos mais velhos, são:  busque informação, cursos, procurem persistir na afinidade com a tecnologia; dedique atenção à saúde, preocupe-se em se alimentar bem, cuide da ingestão adequada de água, além de dormir bem, conversar com os familiares sobre os sentimentos. Em momentos que for convocado para entrevista de emprego, mostre toda energia e força de vontade para retomar ao mercado de trabalho e aprenda alguma atividade que seja possível realizar em casa e que gere renda.

 

Serviços da escola
Serviços do Senac-RS
Acessos
Serviços
Institucional
Contato
Top of mind 2018
Top de marketing ADVB 2018
Great Place to Work 2018
Top Ser Humano 2018
Nós apoiamos o Pacto Global
Melhores em Gestão 2018
Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade para melhorar sua experiência em nossos sites e personalizar a entrega de conteúdo do seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com essas condições.