Senac

Rio Grande do Sul

Artigo

Novembro Azul: a importância do amparo familiar no tratamento de pacientes com câncer

por Evelin C. Pigosso

A descoberta de uma doença grave é um momento extremamente delicado na vida de um indivíduo. E quando se trata de uma doença emblemática como o câncer, torna-se imprescindível que se tenha um olhar diferenciado e atento com relação ao paciente, uma vez que ele irá lidar com questões físicas e psicológicas, que o acompanharão desde a descoberta da doença até a finalização do tratamento e acompanhamento periódico. 

Nesta relação conflituosa entre doença e vivência, é muito importante que a família atue como amparo positivo e porto-seguro ao paciente, para que o mesmo consiga efetivamente dedicar-se ao tratamento, que por vezes é mais um desafio a ser vivenciado, dada a complexidade dos efeitos colaterais dos remédios. Além disso, quando há espaço para o compartilhamento das angústias oriundas da doença, há a criação de um espaço para a fala e para o exercício da empatia, bem como auxílio na experiência de coesão familiar. 

Porém, é importante ressaltar que o câncer é uma doença que pode despertar inúmeros sentimentos e experiências ao longo do tratamento, sentimentos esses que podem se manifestar de diferentes formas em cada membro familiar. Nesta relação, é imprescindível que cada sujeito entenda e identifique suas próprias reações e sensações, e as trabalhe (se for necessário, com a ajuda de um profissional preparado), para não interferir negativamente no tratamento do paciente. Isso ocorre, pois em muitos momentos o familiar acaba transferindo sua angústia para o indivíduo doente, e acaba o desencorajando. 

Logo, quando a família passa por uma situação de tratamento de câncer, o amparo e a sensibilidade devem ser sempre visados. Amparo no sentido de acolhimento e fortalecimento do paciente, e sensibilidade no que se refere à condução do sistema familiar a partir da descoberta da doença, uma vez que há um processo de luto que deve ser enfrentado – e este processo pode ser desde luto pelo corpo saudável, até luto pelo medo iminente de uma perda familiar. 

Dessa forma, nota-se a importância do olhar afetivo do outro para com o paciente com câncer. Com este amparo, a experiência afetiva da doença pode ser mais bem processada pelo indivíduo, uma vez que há a sensação de apego, carinho e amor vivenciados. E essas sensações fortalecem os sentimentos positivos e podem auxiliar na experiência de tratamento, que por si só pode ser traumática, se não bem trabalhada.

Serviços da escola
Serviços do Senac-RS
Acessos
Serviços
Institucional
Contato
Top of mind 2018
Top de marketing ADVB 2018
Great Place to Work 2018
Top Ser Humano 2018
Melhores em Gestão 2018