Senac

Rio Grande do Sul

Artigo

Projeto Inkludo

por Amanda de Araújo Leppa - Pedagogia; Gestão de Pessoas, Liderança e Coach

INKLUDO: Programa de Treinamento e Acolhimento 

 

A compreensão da inclusão como um direito de todos e como parte de um processo de cidadania, necessita de continua discussão e reflexão quanto ao sentido da palavra e sua aplicabilidade, ainda mais no meio corporativo. Conforme Mantoan (2005, p.10), “inclusão é a nossa capacidade de entender e reconhecer o outro e assim, ter o privilégio de conviver e compartilhar com pessoas diferentes de nós”. Diante dos olhos da autora, inclusão é acolher todas as pessoas, indiferente se possuem uma deficiência ou não. Entende-se então nesse sentido, que incluir é dar espaço para todas as pessoas, entender seu tempo e suas dificuldades. 

A inclusão e a acessibilidade estão a cada dia mais presentes nas empresas, interferindo significativamente na construção dos objetivos estratégicos da organização e no acolhimento de Pessoas com Deficiência, sendo assim, as práticas de gestão de pessoas alinhados a processos de inclusão, tornam-se essenciais para a construção de estratégias que assegurem formar equipes mais preparadas, com funcionários mais satisfeitos e consequentemente melhores resultados. Sabe-se também que a inserção no mercado de trabalho da Pessoa com Deficiência ainda é um processo complexo e ocorre de forma equivocada em alguns momentos, neste contexto vale ressaltar que o trabalho é um direito fundamental para qualquer pessoa, tendo como fim um caráter social, que a inclui no processo produtivo e de desenvolvimento da sociedade. 

Nesse aspecto, os cursos de educação profissional como o Programa Jovem Aprendiz, para inserção de Pessoas com Deficiência no mercado de trabalho, possuem um papel significativo para a formação de pessoas autônomas, com conhecimentos, habilidades, valores e atitudes diante de situações de vida pessoal e profissional (GELLER; SILVA, 2017). É inquestionável a importância das contratações de profissionais com deficiência para as empresas, não apenas visto como um componente estratégico norteado pela lei de cotas, mas sim como uma gestão que visa a diversidade e a acessibilidade, possibilitando dessa forma, a construção de uma empresa mais cidadã, com valores éticos, empáticos e é claro, com um olhar de responsabilidade pelo todo.  

Desta maneira, surgiu em 2018 o Projeto INKLUDO: Programa de Treinamento e Acolhimento, criado por Pessoas com Deficiência (alunos da Aprendizagem) e orientadores do Senac Comunidade. O Programa tem como objetivo incluir, instruir e inspirar gestores e colaboradores de empresas na área de comércio de bens, serviços e turismo para a promoção de um ambiente receptivo, acessível e inclusivo na integração e apresentação de pessoas com deficiência para a suas novas atividades em seus respectivos setores. Pensando em tornar o projeto inclusivo, desde o seu nome, Inkludo significa inclusão, que de acordo com a língua internacional Esperanto, significa esperança e tem como objetivo facilitar a comunicação entre os povos, por se tratar de uma língua fácil, rápida, acessível e neutra, contribuindo assim, com todos os objetivos propostos no projeto.   

As empresas do comércio de bens, serviços e turismo são convidadas a estabelecerem uma parceria com o Projeto INKLUDO. Tais ações acontecem através da Pedagogia Moderna, que tem como base novos modelos de aprendizado, utilizando a metodologia do treinamento experiencial, com o propósito de descontruir e construir entendimentos e definições a respeito do conceito de inclusão e acessibilidade, facilitando o processo de aprendizagem, treinando os colaboradores com excelência e acolhendo a Pessoa com Deficiência, com afetividade e segurança. 

Já temos como resultado a promoção de oportunidades de melhoria quanto ao processo de inclusão em quatro empresas parceiras, sensibilizando mais de 120 gestores e colaboradores, a fim de contribuir para a formação de equipes inclusivas e empenhadas, resultando na excelência do atendimento ao cliente. O INKLUDO foi também vencedor da Feira de Projetos do Senac-RS 2018.

Docentes: Amanda Leppa e Márcio Oliveira 

 

GELLER, M.; PAIM, L. F. Programa Jovem Aprendiz: um estudo na perspectiva da educação matemática inclusiva. In: VII Congresso Internacional de Ensino da Matemática, 2017, Canoas. Anais do VII CIEM, 2017. 

MANTOAN, Mª Tereza Eglér. Inclusão é o privilégio de conviver com as diferenças. In: Nova Escola, maio de 2005. 

Serviços da escola
Serviços do Senac-RS
Acessos
Serviços
Institucional
Contato
Top of mind 2018
Top de marketing ADVB 2018
Great Place to Work 2018
Top Ser Humano 2018
Melhores em Gestão 2018