Senac

Rio Grande do Sul

Artigo

Eu tenho Inteligência Emocional?

por Andreia da Costa Pauleski - Pedagoga, Coach

Eu tenho Inteligência Emocional? 

 

Para responder essa pergunta é preciso entender como funciona o cérebro humano. Simbolicamente, podemos pensar que o cérebro é dividido em duas partes, hemisférios esquerdo e direito. Definição, esta, gerada a partir de vários estudos.  

A neurociência diz que o hemisfério esquerdo é o racional, matemático, lógico, cognitivo, cartesiano, analítico, crítico e responsável pelo modo de compreensão que temos das situações que nos acontecem, isso de forma consciente, onde nos encontramos mais atentos e somos capazes de refletir sobre as situações. Entretanto, esse não é o lado esquerdo de fato, ele é todo o cérebro. Já o hemisfério direito é o lado da intuição, das emoções, dos sentimentos, da compreensão subjetiva da vida, não da compreensão lógica, mas de uma compreensão emocional do mundo.  

Inteligência Emocional, você tem? Você se conecta com o mundo, através dos estímulos gerados por estes dois hemisférios? Ou você age a partir dos estímulos somente do hemisfério esquerdo ou direito? É necessário usar o hemisfério esquerdo, mas também usar uma compreensão emocional e subjetiva do mundo. E quando se vê tudo pelos dois hemisférios, o mundo fica muito mais realista, porque o esquerdo só vê letras e números, fatos e dados, e o lado direito vê a subjetividade, as intenções e as emoções.  

Se tivermos uma pessoa extremamente guiada pelo hemisfério esquerdo, ela se torna crítica, lógica, analítica, que prefere lidar com números e com a realidade, não acreditando em nada que não tenha uma referência muito clara ao passado. E isso não é tão positivo assim, porque não podemos ser puramente racionais.  

Uma pessoa guiada pelo hemisfério direito é emocional, acredita em todo mundo, é romântica, se entrega, busca, pula no vazio, procura o desconhecido e é boa (quando não está sozinha). O equilíbrio entre esses dois hemisférios é que vai fazer o seu sucesso e promover você a patamares mais elevados.  

Cabe destacar que todos nós somos guiados mais por um hemisfério, esquerdo racional ou o direito emocional. E quando conseguimos o equilíbrio dos dois lados do cérebro, agimos de maneira a estimular as competências emocionais sociais e as competências emocionais pessoais, podemos dizer que isso é inteligência emocional. 

O que Daniel Goleman diz sobre a Inteligência Emocional? Para o pesquisador Daniel Goleman 2(2011), Inteligência Emocional é a combinação de dois pilares. O primeiro são as competências emocionais sociais: a capacidade de você se conectar com o próximo e com a sociedade. E o segundo são as competências emocionais pessoais: a capacidade de se conectar de forma harmônica e afetuosa consigo mesmo.  

De acordo com?Daniel Goleman (2011),?Inteligência Emocional?é a capacidade que um indivíduo tem de identificar os seus próprios sentimentos e os dos outros, de se motivar e de gerir bem as emoções internas e nos relacionamentos. São cinco os elementos que precisam ser trabalhados para o desenvolvimento de mente inteligente emocionalmente: autoconhecimento, autocontrole, motivação, habilidades sociais e empatia. A Inteligência Emocional pode ser desenvolvida, treinada e aprimorada por qualquer pessoa com a construção de novos hábitos, novas formas de pensar e se comportar. 

Desenvolvendo suas habilidades interpessoais e do autoconhecimento você estará desenvolvendo sua inteligência emocional. A inteligência emocional é a base para o desenvolvimento da maior parte das habilidades interpessoais exigidas para o sucesso pessoal e profissional. E, por isso, é muito importante aprender como?gerenciar as suas emoções?e a das pessoas à sua volta. Desenvolver a inteligência emocional é uma tarefa que demanda esforço e dedicação. Isso porque as emoções e sentimentos estão em constante mudança, o nível de estresse, tensão e de conflitos nas relações também podem dificultar o seu gerenciamento.  

Porque devo desenvolver Inteligência Emocional? Desenvolvendo melhor sua Inteligência Emocional você poderá adquirir alguns benefícios, como:  

  • Diminuir os níveis de ansiedade e estresse;  

  • Minimizar, evitar conflitos ou discussões negativas em seus relacionamentos familiares e profissionais;  

  • Aumentar a empatia pelo próximo, contribuindo para uma relação mais harmoniosa e saudável;  

  • Adquirir mais equilíbrio emocional; 

  • Possuir maior clareza em seus objetivos de vida; 

  • Melhorar sua capacidade de tomada de decisão;  

  • Aumentar sua produtividade;  

  • Gerenciar melhor seu tempo;  

  • Aumentar seu nível de comprometimento com suas metas;  

  • Aumentar e melhorar sua autoestima e autoconfiança; 

  • Desenvolver o senso de auto responsabilidade; 

  • Melhorar a qualidade dos relacionamentos interpessoais; 

  • Maior realização profissional, pessoal e familiar; 

  • Saber gerir suas emoções; 

A Inteligência Emocional é necessária para gerar crescimento no ambiente de trabalho de forma harmônica. Inteligência Emocional diz respeito ao equilíbrio produtivo positivo, um equilíbrio que faz você produzir, mas de forma positiva, a fim de não desgastar sua vida como um todo.  

Liderar e servir, por exemplo, são competências emocionais sociais. Superação e otimismo são competências emocionais pessoais. Para Daniel Goleman (2011), essas competências formam quem nós somos de verdade e determinam onde estamos e aonde queremos chegar. Sendo assim podemos afirmar que esse conjunto de competências é de extrema importância e necessária para nossas relações, seja para o âmbito profissional ou pessoal. 

 

“É com o coração que se vê corretamente; o essencial é invisível aos olhos.” 

Antoine de Saint-Exupéry,  

O Pequeno Príncipe 

 

 

 

 

 

Referências 

GOLEMAN, Daniel.?Inteligência Emocional. Rio de Janeiro : Objetiva, 2011. 

CURY, Augusto. Gestão da Emoção. São Paulo: Saraiva, 2015. 

Serviços da escola
Serviços do Senac-RS
Acessos
Serviços
Institucional
Contato
Top of mind 2018
Top de marketing ADVB 2018
Great Place to Work 2018
Top Ser Humano 2018
Nós apoiamos o Pacto Global
Melhores em Gestão 2018