Senac

Rio Grande do Sul

Artigo

Instrumentação Cirúrgica

por Maria da Graça de Santi - Enfermeira, mestre em Ciências da Saúde, pós-graduada em docência e licenciada pela UFRGS.

O instrumentador cirúrgico trabalha em conjunto com a equipe de cirurgia durante um procedimento operatório. Ele auxilia fornecendo instrumentais cirúrgicos para a realização do ato operatório. O instrumentador cirúrgico é fundamental para o ato cirúrgico, pois contribui para uma melhor qualidade da cirurgia, diminuindo o tempo cirúrgico e melhorando o cuidado com o instrumental.

Funções do instrumentador cirúrgico:

Parra e Saad descrevem as atribuições principais do instrumentador, que são:

- conhecer os instrumentos por seus nomes e colocá-los sobre as mesas auxiliares, sempre na mesma ordem, bem como ter preparados agulhas e fios adequados a cada tempo operatório;

- ser responsável pela assepsia, limpeza e acomodação ordenada e metódica dos instrumentos, desde o início até o fim da operação;

- entregar os instrumentos com presteza ao sinal ou pedido verbal do cirurgião, colocando-os em sua mão, de forma precisa e exata para uso imediato, sem que tenha necessidade de reacomodá-lo antes do uso;

 - fazer os pedidos necessários ao circulante da sala (fios, gazes, compressas, drenos, etc);

 - sincronizar tempos e ações manuais com o cirurgião e o assistente, segundo a técnica da equipe.

 

História da instrumentação cirúrgica

Jean Henri Dunant é reconhecido por seu trabalho durante a batalha de Solferino. Há registros de que ele auxiliava os cirurgiões entregando instrumental cirúrgico no ato operatório. A batalha de Solferino aconteceu no norte da Itália em 24 de junho de 1859. Foi um episódio decisivo na luta pela unificação da Itália e também um momento importante na evolução do humanitarismo moderno.

A instrumentação cirúrgica cresceu no século XX devido ao aumento do número de cirurgias. Em 1954 é criada a Escola de Técnicos em instrumental cirúrgico, em Nice, França. A escola tinha como objetivo preparar os profissionais para auxiliar nos tempos cirúrgicos, conhecer materiais para cada especialidade entre outras atividades cirúrgicas.

Ética na instrumentação cirúrgica

A ética é fundamental principalmente na área cirúrgica, pois o paciente encontra-se debilitado e indefeso, por vezes longe da família. O instrumentador deverá ser ético, guardar sigilo profissional respeitando o código de ética , tanto em relação ao paciente quanto com a equipe cirúrgica.

Os preceitos éticos de cada profissional são fundamentais para a manutenção de sua carreira. Seguindo-os podemos nos tornar grandes profissionais requisitados no mercado de trabalho.

 

Profissão de instrumentador cirúrgico

Foi aprovado pela Câmara de Deputados Federal o Projeto de Lei 642/07, do deputado George Hilton (PRB-MG).  Foi regulamentada a profissão de instrumentador cirúrgico. O projeto diz que o exercício da profissão é privativo daqueles que concluíram o curso de Instrumentação Cirúrgica, ministrado no Brasil, por escola oficial ou reconhecida pelo governo federal; ou no exterior, desde que o diploma seja revalidado no Brasil. Também podem exercer a atividade aqueles que já atuam na profissão há pelo menos dois anos, contados da data em que a lei entrar em vigor.

Segundo o projeto, o atendimento do instrumentador terá como prioridade as razões de urgência para manutenção da vida do paciente. O profissional não poderá, sob-risco de infringir o regulamento profissional, negar a assistência de instrumentação cirúrgica em caso de emergência; abandonar o campo cirúrgico em meio à instrumentação cirúrgica; provocar aborto ou eutanásia ou cooperar em prática destinada a antecipar a morte do paciente, entre outros.

Como tornar-se um instrumentador cirúrgico

Para se tornar um instrumentador cirúrgico é necessário ter, pelo menos, 18 anos e ser formado como técnico de enfermagem, ter escolaridade de nível médio completo e ter o curso de instrumentação cirúrgica.

 

Bibliografia

Sociedade Brasileira de Enfermeiros de Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Centro de Material e Esterilização (SOBECC). Práticas recomendadas - SOBECC. 5ª ed. São Paulo: SOBECC; 2009.

Parra OM, Saad WA. Noções básicas das técnicas operatórias. São Paulo: Atheneu; 2001.

Parra OM, Saad WA. Instrumentação cirúrgica. São Paulo: Atheneu; 2003.

https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2015/06/24/projeto-que-regulamenta-profissao-de-instrumentador-cirurgico-passa-na-cas

Brasil. Lei n. 7.498 de 25 de junho e 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício de Enfermagem e dá outras providências. In: Conselho Regional de Enfermagem. Leis [Internet]. Brasília. [citado 2010 jul 07]. Disponível em: http://www.coren-df.org. br/portal/index.php/leis

Serviços da escola
Serviços do Senac-RS
Acessos
Serviços
Institucional
Contato
Top of mind 2018
Top de marketing ADVB 2018
Great Place to Work 2018
Top Ser Humano 2018
Nós apoiamos o Pacto Global
Melhores em Gestão 2018